Os campeões nacionais em título, Daniel Fonseca e Joana Schenker, confirmaram o seu estatuto e venceram hoje a primeira etapa do Circuito Nacional de Bodyboard Crédito Agrícola 2020, na Praia do Mirante, em Santa Cruz.

Não foi, nem de perto nem de longe, um passeio para Daniel e Joana, que tiveram pela frente concorrência muito forte e, até certo ponto, inesperada.

Na competição masculina, depois de, no sábado, Pierre-Louis Costes ter dominado, tendo estado muito perto de conseguir uma nota de 10 pontos (9,83) e somado o score total mais alto da competição (17,83), o wildcard do circuito foi surpreendentemente eliminado nos 1/4 de final da prova, batido por Daniel Fonseca e Fábio Farricha, começando a desenhar-se assim o triunfo do campeão nacional.

Contudo, com nível altíssimo e grande nível de incerteza a caracterizar toda a prova, quem assistiu ao webcast (o primeiro da história do circuito nacional) viu nas meias-finais o 8 vezes campeão nacional Manuel Centeno surfar a níveis estratosféricos e “despachar” o atleta local da Associação Sealand, Pedro Fernandes, e o penichense Fábio Farricha com um score total de 17.66 pontos (9.33 e 8.33), levando Daniel Fonseca pelo braço (13.37) até à final.

Na final, Daniel puxou dos galões, fez um heat inteligente e apoiado numa onda de 8.50, juntou mais um score de 6.33 pontos e venceu a etapa. O segundo classificado foi uma meia-surpresa: Joel Rodrigues, do Clube Naval Povoense, de apenas 16 anos, fez um heat extraordinário (14.17) e ficou perto de conquistar uma vitória histórica.

No terceiro lugar acabou Miguel Adão, da Figueira da Foz, que liderou grande parte da bateria, e Manuel Centeno, que passou o heat à procura de uma onda igual às duas que apanhou nas meias, ficou pelo quarto lugar.

“Estivemos um pouco à espera que começasse o heat e vi que haviam umas ondas que tinham muito mais potencial. Não arrisquei muito, fiz uma pontuação de backup e depois esperei pela onda em que encaixei três manobras e que me permitiu ganhar a bateria”, resumiu Daniel, acrescentando a propósito da sua campanha pela defesa do título: “Foi o melhor arranque que podia desejar e esta organização excelente que está por trás deste circuito dá-me ainda mais motivação para representar o bodyboard nacional e ser campeão novamente.”

Na prova feminina, Joana Schenker teve de suportar o assalto à vitória por parte da nazarena Teresa Almeida e da regressada Rita Pires, a 11 vezes campeã nacional que voltou a competir após um afastamento de 7 anos e teve um impacto incrível na etapa, classificando-se em terceiro lugar, apenas superada pela atual campeã, Joana Schenker, e por Teresa Almeida, que também protagonizou notável exibição. Mariana Machado, wildcard da Associação Sealand Santa Cruz, fechou o pódio.

“Foi um stress bom voltar à competição. Senti um pouco o nervosismo e pressão nesta final, que não foi fácil, mas felizmente apareceu uma onda boa para mim. Mas todas surfámos bem na final e foi bom conseguir impor-me e ganhar”, afirmou Schenker, que não poupou elogios organização deste renovado Circuito Nacional de Bodyboard Crédito Agrícola 2020:

“Adorei este campeonato, foi um sucesso do princípio ao fim. Tivemos o regresso da Rita Pires, uma atleta muito importante para mim no início da minha carreira competitiva, e que surfou muito bem. Foi bom voltar a sentir a pressão de ter ali a Rita. Mas gostei mesmo da organização, do webcast, e senti-me muito bem a competir pois senti que estava no sítio certo. Tudo a correr bem num campeonato muito profissional e só tenho de dar os parabéns a todos os envolvidos.”

O circuito segue agora para Peniche, dias 19 e 20 de setembro, para a segunda etapa. xxx

HIGHLIGHTS EM VÍDEO AQUI

Comentários