Depois de TU MISMO (2019), O EMIGRANTE (2017) e INSOMNIA (2015), Bernardo Jerónimo está de volta com um novo clipe intitulado ‘EL DESAPARECIDO’. Com imagens de uma armada vasta, a edição deste trabalho esteve a cargo, uma vez mais, do amigo Porkito.

‘Xouriço’ é conhecido por andar sempre no trilho das boas ondas e, embora não esteja a residir em Portugal de momento, essa velha máxima mantém-se. Aos 32 anos continua a ser uma das grandes referências no free surf nacional. Não é à toa que foi o entrevistado da nossa última edição publicada em papel (Vert 112) e capa da Vert 109Fiquemos então a saber um pouco mais do seu mais recente vídeo.  

Alô! Começamos por te perguntar por onde tens andado e o que andas a fazer?

BJ: Tenho estado “confinado” na costa norte da Gran Canaria, mais precisamente em Galdar onde me encontro a viver neste momento, daí o título “El Desaparecido” para este meu novo projeto. Este inverno que passou tive a sorte de poder surfar bastante uma vez que não estive a trabalhar.

Trabalho com turismo e com toda esta realidade pandémica o setor foi muito afetado aqui na ilha, então tive necessidade de me adaptar, tirei um curso online que, felizmente, me permitia fazer o meu próprio horário e quando não estudava estava na praia a gravar e a juntar imagens para este novo clipe.

Para quando o lançamento deste novo vídeo?

BJ: O vídeo vai estar online no dia 2 de junho, quarta-feira, por volta das 11:30. Portanto, estejam atentos! 

Que ondas e locais cruza?

BJ: Ao contrário das edições anteriores, desta vez poucas! Este clipe foi inteiramente filmado em Galdar nas três ondas rainhas aqui do bairro – la Guancha, el Agujero e el Frontón.

“Encontrar as mais ondas perfeitas e surfá-las o melhor possível é o que me tem movido nos últimos tempos.”

A teu ver, qual a melhor parte do clip?

BJ: Para mim as imagens mais impactantes do vídeo, provavelmente, serão as imagens aéreas filmadas de drone. Dá para ter muito mais a noção do perigo que nós, atletas, corremos ao surfar este tipo de ondas e realça ainda mais a cor da água que já por si só é incrível!

Nessas imagens dá para ver perfeitamente onde começa a onda, uma vez que é tão rasa e violenta que a própria pedra fica “limpa” de não haver algas e limo que se consigam fixar na laje na zona de impacto. O Frontón especialmente é uma onda muito impressionante e impõe os limites de qualquer um!

Quanto tempo despendeste a recolher as imagens?

BJ: Bem, são sobretudo imagens deste último inverno, apesar de ter também imagens que foram filmadas o inverno passado que não foi tão bom quanto este ano e acabou mais cedo que o previsto devido à quarentena.

Obrigado, Bernardo. E fiquem atentos ao lançamento a 2/junho, às 11:30. xxx

Foto fora de água – Francisco Correia de Campos 
Foto dentro de água – Christian Antunez 
Edição arte – João Serpa