22/04/2015 – Há qualquer coisa nas bombas solitárias que nos atrai e deixa envoltos em mil e um pensamentos. Normalmente, tratam-se de tubos profundos e pesados, drops verticais e elevadas doses de adrenalina. Ondas que quebram sozinhas por aí e que nos atraem para o que, por vezes, pode ser o abismo.

Enfim, nós gostamos… bastante!


Fotografia: Ricardo Faustino | Facebook | Instagram