Após a saída de Alex Leon da APB (Association of Professionals Bodyboarders) e da incerteza quanto ao circuito mundial da presente temporada (ainda só se realizou uma etapa e não existe calendário), têm-se verificado certas movimentações nos bastidores que levam a crer que estará a ser implementado um “take over” ao atual circuito mundial. 

Segundo apurámos, uma nova organização, de seu nome International Bodyboarding Corporation (IBC), de foro não lucrativo ao contrário do que o nome leva a crer e operado por um grupo de promotores do desporto, prepara-se para tomar conta do World Tour de Bodyboard.   

Desta forma, a APB passaria a assumir a posição de defender os atletas, uma espécie de sindicato ou associação de classe onde a visão e os interesses dos bodyboarders tivessem efetivamente uma voz ativa. 

A transição do circuito deveria ter decorrido no início do ano de forma suave e sem problemas, mas houve alguns atritos, precisamente pelo facto de se ter criado uma nova sigla, e talvez isso tenha retardado o processo e também o lançamento do novo calendário.

Em todo o caso, importa realçar que a IBC procura um circuito onde a qualidade das ondas, o prize money e o historial das provas tenham uma palavra a dizer. 

As negociações estão a decorrer com alguns atletas que fazem parte do “board” da APB, nomeadamente, Mike Stewart, Jeff Hubbard, Ben Player, Joana Schenker, entre outros, e com o representante desta nova organização, Arturo Soto.

Estará o futuro do desporto, uma vez mais, em causa? 

Comentários