Desde que vim a primeira vez para a Austrália, em 2016, eu e o Sérgio Paulo falávamos deste objetivo que tínhamos em fazer uma road trip pelo sul do país. 

Vários filmes serviam de inspiração, entre eles o The Road e as recentes viagens de alguns bodyboarders nacionais por lá (António Saraiva, Tó Cardoso, Daniel Fonseca e Bernardo Jerónimo). Passaram 2 anos até que surgiu a oportunidade. 

Eu estava nos arredores de Adelaide a podar vinhas e a juntar dinheiro de novo para voltar para Perth, e, pensei que em vez de fazer a longa viagem sozinho e sem paragens, porque não juntar um grupo de amigos e viver o sonho de poder surfar aquelas ondas perfeitas que só vemos nos filmes? Só na companhia de grandes amigos sem qualquer crowd..

E assim foi, consegui juntar o Sérgio Paulo, que trabalha e vive em Byron Bay; o Diego Gomes, que veio diretamente de Portugal para fazer esta viagem; e o Simão Monteiro, grande talento do bodyboard nacional que estava a viver em Sydney. Quando todos chegaram a Adelaide, arrancámos para a grande aventura! 

A primeira semana contou com ondulações demasiado grandes e ventos pouco favoráveis. Portanto, aproveitámos para conhecer a área, fazer grandes pescarias e todo-o-terreno pelas dunas. Aqui ainda tinhamos alguma conexão e contacto com a internet, o que dava para controlar sempre as previsões, e foi aí que vimos que outra zona mais para oeste poderia estar de gala dentro de alguns dias. 

“Foram dias incríveis a partilhar o melhor da natureza com bons amigos”

Arrancámos estrada fora de novo, mas antes parámos na última civilização para nos abastecermos com alimentos e água até ao limite, pois íamos estar completamente isolados. Nessa noite chegámos ao destino, umas dunas numa pequena baía, onde a localidade mais perto fica a mais de 30min de carro, sem qualquer rede de telemóvel. Era o aniversário do Sérgio Paulo, então fizemos uma fogueira e celebrámos literalmente a sensação de liberdade, completamente desconectados do Mundo e onde o único objetivo era esperar pelas boas ondas. 

Quando o offshore chegou nos dias a seguir, nem queríamos acreditar, num raio de 5km tinhamos à escolha uma mão cheia de ondas perfeitas sem ninguém por perto. Foram, sem dúvida, dias incríveis a partilhar o melhor da natureza com bons amigos. 

Lembro-me que numa das sessões, antes de entrarmos na água, um grupo de golfinhos decidiu ir surfar umas ondas ao pico e vibrámos como se estivéssemos a ver alguém a fazer a onda do ano. Nessa mesma surfada, um dos golfinhos veio dizer-nos um olá, deu 3 voltas a nadar em nosso redor! Foi incrível o momento, abraçamo-nos e gritámos de alegria. 

Depois de vários dias no paraíso foi tempo de voltar à estrada e fazer a longa jornada pela estrada mais comprida da Austrália até Margaret River, onde fomos recebidos com várias ondulações que fizeram funcionar um wedge bastante fun da zona. Foi a cereja no topo do bolo para encerrar esta grande aventura!


Texto & fotos de António Carreira | Yot Photo

Comentários