Em notícia vinculada pela World Surf League (WSL), anteriormente denominada de ASP (Association of Surfing Professionals), a aquisição da APB (Association of Professional Bodyboarders) e do seu circuito mundial vai acontecer no final do verão.

Face a esta nova medida, a APB Tour tem agora que reformular as datas de parte das etapas que constam no calendário e terminar o circuito da presente temporada até final de setembro. Isto porque, entre outubro e dezembro, a WSL vai preparar o circuito do próximo ano, reformulando-o por completo, conforme se pode ler no comunicado.

De acordo com o que é referido no comunicado, “A aquisição dos direitos totais da APB Tour são para levar em conta, em prática efetiva até setembro, e seguem a política de expansão delineada pelos responsáveis da WSL desde há dois anos atrás, precisamente quando a associação sofreu um rebranding na imagem e viu algumas alterações significativas terem lugar.”

A entidade que rege o surf vai agora tomar conta do bodyboard, incluindo a modalidade no sentido lato da palavra Surf e da World Surf League, a verdadeira liga do Surf mundial.

Sobre o circuito não foi muito mais adiantado, apenas que algumas etapas da atualidade, como Fiji, Teahupoo e Pipeline, por exemplo, poderão passar a ser mistas. Isto pode significar campeonatos à moda antiga, isto é, com ambas as categorias a terem lugar ou então com dias específicos reservados para cada uma.

De acordo com a WSL, o número de fãs de surf ao redor do planeta está em crescendo, fixando-se neste momento em 120 milhões de pessoas (número adiantado pela Forbes) e com franca tendência para aumentar. No site da WSL, por exemplo, o número de pageviews duplicou em doze meses, ou seja, passou de 19,4 milhões para 42,9 milhões. Em 2013 era de 12,7 milhões.

Em geral, os Estados Unidos, a Austrália, o Brasil e a França lideram o ranking das audiências da WSL, mas Portugal é um dos países que tem gerado mais tráfego nas transmissões via internet, encontrando-se no quinto lugar. O número de portugueses que assistem às provas do World Tour da WSL é imponente: 1,8 milhões.

Com a inclusão do bodyboard nas suas fileiras, o número só tende a aumentar. Boas ou más notícias para o bodyboard?