Líder Miguel Ferreira cai em Supertubos de gala. Centeno tem caminho aberto, mas Fonseca ainda espreita.

Houve de tudo no primeiro dia da quarta e última, decisiva, etapa do Circuito Nacional de Bodyboard Crédito Agrícola 2021: condições de gala em Supertubos, com ondas tubulares e com tamanho, exibições de luxo como as de Dino Carmo, Manuel Centeno, Joel Rodrigues e Bernardo Machado ou Silvano Lourenço, e a eliminação surpreendente do líder da competição masculina, Miguel Ferreira.

O dia amanheceu com mar algo mexido, mas a prometer ondas clássicas para o resto do dia, e não desiludiu, com Ricardo Rosmaninho a dar logo uma amostra do que aí vinha com uma onda de 7.17 pts. O primeiro heat mais sumarento desta ronda, porém, adivinhava ser o que colocava frente a frente o sempre perigoso Dino Carmo, o multicampeão nacional Hugo Pinheiro e o líder do ranking Miguel Ferreira. Sem desdenhar do local David Crespo, quase um espetador nesta bateria de gigantes.

Dino Carmo mostrou logo ao que vinha com um tubo seguido de backflip que lhe deu 8.17 pontos ao que somou depois um 6.33, deixando a concorrência em xeque. Por seu turno, Miguel Ferreira, a acusar a pressão do nazareno, atirou-se para duas ondas cavernosas que fecharam sem lhe dar os desejados tubos e as notas excelentes associadas.

Entretanto, o experiente Hugo Pinheiro, competidor exímio, jogava mais seguro e sacava da cartola um 4.33 e um 5.50 pts que acabariam por lhe garantir a passagem à segunda ronda, logo atrás de Dino Carmo.

Pelo caminho, deixando a praia em alvoroço, ficava Miguel Ferreira, enquanto Manuel Centeno, o outro candidato ao título, alongava na areia e via o desfecho que lhe dava agora francas hipóteses de chegar ao nono título open. Um objetivo que embora difícil, pois Centeno está agora obrigado a chegar à final; está quase inteiramente nas suas mãos. Quase, porque o atual campeão nacional, Daniel Fonseca, ainda tem hipóteses matemáticas. Mas já lá vamos…

Miguel Ferreira, desalentado, descreveu de forma racional o sucedido: “Vi o Dino arrancar logo com um 8 e percebi que as ondas estavam lá e que era possível bons scores. Infelizmente, tive duas oportunidades que não consegui concretizar e depois de 10 minutos sem ondas, estava numa posição desfavorável, já que o Hugo Pinheiro já tinha assegurado duas ondas medianas e eu estava sem nada. Tentei fazer o mesmo mas já não fui a tempo. Estou frustrado mas calmo, pois agora não depende de mim ser campeão. E mesmo que seja, não era assim que pretendia que acontecesse, mas vamos ver o que acontece agora. Não sou de ficar nervoso com estas coisas, vou só esperar e ver. ”

Na ponta oposta do espectro, estava um dos destaques do dia, o jovem Joel Rodrigues, que apenas há duas semanas se sagrou vice-campeão mundial Pro Junior nas Ilhas Canárias, e somou o melhor total do dia, 16.17 pontos, com um 7.50 e um 8.67.

“Estou muito contente com a minha exibição. Tive a sorte de apanhar duas boas ondas e agora estou na expectativa de ver o que vem aí amanhã, pois parece que o mar vai subir bastante”, disse o jovem bodyboarder de 17 anos que representa o Clube Naval Povoense.

Entretanto, na competição feminina, que correu praticamente toda, as candidatas ao título Teresa Padrela e Filipa Broeiro chegaram à final, onde encontrarão a 7x campeã nacional Joana Schenker e a campeã nacional sub-18 Mariana Silva. Tanto Joana como Mariana não estão nas contas do título, mas serão “jokers” complicados na luta decisiva entre Teresa e Filipa, duas bodyboarders da nova geração que têm a hipótese amanhã de conquistar o primeiro título nacional das suas carreiras.

Em suma, amanhã há a promessa de mar muito grande em Supertubos, mas com condições surfáveis, e a certeza de sagrar novos campeões nacionais. Nos homens, Manuel Centeno tem a hipótese de conquistar, aos 41 anos, mais um título nacional open da carreira, Daniel Fonseca corre por fora para revalidar o título, enquanto Teresa Padrela e Filipa Broeiro tentarão alcançar as primeiras coroas nacionais.

Cenários possíveis:

  • Miguel Ferreira é campeão nacional se Daniel Fonseca não vencer a prova e se Manuel Centeno não chegar à final.
  • Manuel Centeno é campeão nacional se chegar à final. Todavia, se Daniel Fonseca vencer a prova, o atleta portuense terá de fazer melhor que o quarto lugar.
  • Daniel Fonseca é campeão nacional se vencer a prova e se Manuel Centeno não fizer melhor que quarto lugar.
  • Nas senhoras, Filipa Broeiro é campeã nacional se ganhar a prova e se Teresa Padrela não for além do 3.º ou 4.º lugar. Em qualquer outro cenário, Teresa Padrela sagra-se campeã nacional.

Fica atento ao desfecho, amanhã, a partir das 8h, na Praia dos Supertubos, Peniche. xxx