Teve lugar ontem, 16 de outubro, uma sessão na Cave com os bodyboarders Francisco Horta e Léo Leite. A acompanhá-los, registando toda a ação, esteve a equipa da Máquina Voadora, Nuno Dias (que captou a ação de terra) e ainda Francisco Santos (que fotografou na água).

Foi um daqueles domingos, ao virar da esquina, que não se esquece tão cedo e que mostra que ainda é possível surfar sozinho.

O Léo, cuja nacionalidade é brasileira, esteve pela primeira vez na Cave. No entanto, como tem na bagagem quatro presenças em Teahupoo e um perfil definitivamente “hardcore”, assim que chegou ao local mostrou-se pronto para fazer a estreia apesar da maré estar vazia. Um pouco mais tarde, após alguma ponderação, optou-se por esperar mais uma hora.

De manhãzinha, com a maré ainda muito rasa, as condições estavam perfeitas e prometiam uma mega sessão. Estranhamente, pioraram quando ficou a maré certa: muitas das maiores que entravam eram mutantes, muitos drops aéreos, muitos wipeouts e até alguns estragos materiais e humanos (Nota: Francisco Horta perdeu um pé de pato num wipeout e levou um corte no pé).

Em todo o caso, como as imagens bem atestam, deu para captar muitas imagens boas e a dupla Horta/Léo provou funcionar na perfeição em sessões deste cariz. Um diz mata, o outro diz esfola


Texto: Pedro Miranda | Imagem: Máquina Voadora (Drone footage) & Nuno Dias (Land footage)

Comentários