Quase um ano após a turma internacional da Pride ter lançado “Hidden Face”, o diário de uma viagem pelo Tahiti em que Tó Cardoso também participou, chega a vez de “The Mexican Mirage”, um relato de uma viagem de Pierre-Louis Costes, Jared Houston e Lewy Finnegan pelo litoral noroeste do México.

Tal como Jared Houston contou em exclusivo à Vert na edição 110, o trio embarcou numa experiência por Pascuales, mil quilómetros a norte de Puerto Escondido. Por ali surfaram de manhã à noite em beach breaks que, em condições épicas, nada ficam a dever à mítica onda do sul-mexicano.

Na ante-câmara do lançamento oficial de “The Mexican Mirage”, trocámos uma palavras com o francês mais português da nossa costa sobre o mais recente projeto da Pride e uma viagem em que nem tempo houve para visitar a cultura circundante.

 

O que é exatamente o “The Mexican Mirage”?

“The Mexican Mirage” é o nome dado ao vídeo depois de percebermos que o México não é tão fácil quanto as pessoas pensam. Todos imaginamos que há sempre ondas fantásticas nas praias, mas estas são mais difíceis de apanhar do que se possa imaginar.

Como é que te correu esta viagem?

A viagem correu muito bem. Não conseguimos ondas muito grandes, mas apanhámos boas condições todos os dias e até tivemos oportunidade de explorar uma onda nova naquela região. No geral, foi divertida, embora todos quiséssemos ter encontrado ondas maiores.

Como é que são as ondas de Pascuales?

São boas, difíceis de apanhar porque parecem estar sempre a mover-se e havia uma corrente muito forte por altura em que surfámos por lá. No final, apanhámos todos boas ondas, mas foi tarefa árdua.

Visitaste a cultura local? Conta-nos um pouco como é a vida naquela região.

Na verdade não vimos muita coisa. Fomos umas duas vezes à cidade mais próxima, uma delas para surfar uma onda nova. O resto do tempo passámos ou na água ou a descansar no quarto. O México é o país mais quente em que já estive e depois das 11 da manhã é um verdadeiro forno para se andar na rua.

Que projetos futuros tens na manga?

Para já estou a trabalhar no “The Old Continent II” com a Wonderland Prod.. O último Inverno foi muito bom para mim e estou mesmo entusiasmado pelo lançamento do podcast. Há muitas competições as próximas duas semanas, pelo que é hora de me focar e concentrar nos meus três objetivos: os títulos nacional francês, europeu e mundial.

Comentários