Sol da Caparica é um laboratório onde os artistas podem testar a sua criatividade, apostando na constante renovação que faz da música uma das mais excitantes formas de expressão.

O Sol da Caparica teve recentemente um bem-sucedido encontro com a imprensa em que procedeu à apresentação de parte do cartaz para a edição 2017 que terá lugar entre 10 e 13 de agosto próximo. Um dos momentos altos da conferência de imprensa para a apresentação do programa foi a estreia do vídeo do novo single de Carlão, “Viver Pra Sempre”, rodado nas ruas de Almada.

O novo tema de Carlão conta com uma extraordinária produção de Boss AC que assenta num original dos Bulimundo, verdadeiras lendas da música de Cabo Verde, do funaná. E isso vai ao encontro de uma ideia de reinvenção que tem marcado a carreira recente de Carlão, que tem ido ao encontro das suas raízes culturais e que tem aproveitado certas marcas da modernidade africana para tornar a sua música ainda mais presente. O homem de “Os Tais” não tem temido experimentar diferentes registos e isso está certamente na base do seu sucesso. “Viver Pra Sempre” será, certamente, um dos momentos altos deste Verão e da sua passagem pelo Sol da Caparica.

Mafalda Veiga, outra das artistas presentes na conferência de imprensa d’O Sol da Caparica, também tem novidades: Praia, o seu mais recente registo, também foi pretexto para uma reinvenção da cantora que agora se apresenta com banda renovada e um novo alinhamento recheado de canções inéditas onde pode uma vez mais explorar a veia autoral que a tem afirmado como uma das mais aplaudidas artistas da sua geração, autora de letras com que o seu público se identifica de forma bastante profunda. O novo material de Mafalda Veiga – que toca nas questões universais da vida e do amor – vai certamente ser reclamado pelo público muito rapidamente. Ao vivo, este espectáculo tem uma componente de vídeo com pequenos filmes inéditos realizados pela própria artista, que imaginou todo o concerto como uma ocasião especial a celebrar-se no Sol da Caparica.

Num festival que se une em torno da língua, mas que inclui artistas vindos de cinco países diferentes, o Brasil é uma nação que não podia deixar de estar representada. E a música do Brasil, como bem sabe quem lhe conhece a história, tem sido inesgotável fonte de reinvenções.Noticia_SolCaparica2

Criolo é um dos expoentes da modernidade do Brasil, homem que vem do hip hop mas que não teme ele mesmo a tradição ou a reinvenção e que prepara um novo trabalho muito baseado no samba. Vai certamente dançar-se tudo isso n’O Sol da Caparica.

E não se pode falar de renovação, de reinvenção, sem se falar da língua, o fermento para essa massa de que somos todos feitos. O terceiro volume de Debaixo da Língua está a ser preparado e as conversas vão de Carlos do Carmo, homem do fado que este ano pisará o palco d’O Sol da Caparica, a Biru, um verdadeiro campeão das palavras, da poesia, que integra ao vivo a aventura Batida e que deverá este ano dar-nos poetry slam no espaço da palavra dentro do festival. 

As histórias contadas por pessoas que valorizam a nossa língua estarão espalhadas pela terceira edição de Debaixo da Língua, o livro em que Rui Miguel Abreu, jornalista da revista Blitz, reúne conversas com importantes nomes da nossa música, sempre em torno da temática do português e das melodias e ritmos que melhor o carregam nestes tempos.


Bilhetes diários:

Normal: 15€ • Munícipes recenseados no Concelho de Almada: 13€

Dia da Criança: • 2€ • Entrada gratuita para crianças até aos 6 anos inclusive 

Passes: 

Normal: 35€ • Munícipes recenseados no Concelho de Almada: 32€

Familiar: 2 adultos + 2 filhos (máximo), que sejam menores de 18 anos (mediante comprovativo): 115€

>65 Anos (mediante comprovativo): 25€


Mais informações em www.osoldacaparica-festival.pt

Comentários