Todas as capitanias fizeram um edital para proibir as atividades de grupo, desportivas, lazer, culturais, sociais e lúdicas.

Este foi o fim de semana em que a Autoridade Marítima Nacional interditou todas as praias de Portugal a “atividades desportivas ou de lazer que impliquem aglomerados de pessoas, nas praias do Continente, Madeira e Açores”.

O objetivo, segundo se pode ler na nota publicada pelo dito organismo, é “minimizar a probabilidade de disseminação da COVID-19.” A recomendação da AMN é abrangente e “reforça ainda o alerta para a não ida a banhos e recomenda que as pessoas não se desloquem às praias”.

“Esta é uma medida preventiva, em alinhamento com as medidas implementadas pelo Governo para conter a propagação da COVID-19”, refere a entidade nacional, indicando que “esta interdição será levantada logo que estejam reunidas todas as condições de segurança”.

De Gaia a Espinho, Cascais ou Funchal, várias autarquias já tinham tomado iniciativa semelhante, interditando atividades desportivas e de lazer nas praias. 

Também a Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores desaconselhou a ida às praias para evitar a propagação do novo Coronavírus e um maior risco de afogamentos, salientando que a época balnear só começa a 15 de maio.

No passado dia 12 de março, a Federação Portuguesa de Surf também adiou por tempo indeterminado o início de todas as suas competições entreportas, incluindo o Circuito Nacional de Bodyboard

Se não tem que ir à escola, não tem necessariamente que sair à rua ou se encontra em regime de teletrabalho, então… #FiqueEmCasa

Comentários