Pelo menos três praias da região de Aveiro vão receber os primeiros quebra-mares do país. São barreiras construídas no mar e que levam as ondas a rebentar antes de atingirem a costa. As obras vão custar cerca de 20 milhões de euros e vão ser pagas quase na totalidade pelas autarquias.

A informação foi adiantada pela SIC Notícias que acrescenta que a Vagueira, Furadouro e Cortegaça são as praias em estudo e as que poderão ver as barreiras artificiais serem implementadas. 

Cada uma das barreiras artificiais de proteção de costa, ditos quebra-mares, destacados e dispostos paralelamente à linha de mar, terá a extensão de 250 metros. Servem para reduzir a energia das ondas e visam proteger, como é óbvio, os centros urbanos. Os quebra-mares serão afixados ao largo, a uma distância considerável da praia. 

Faz também parte desta estratégia a alimentação artificial das praias, os chamados “shots” de areia, com vista a combater o grande problema da erosão costeira.

Não há soluções perfeitas, mas este sistema já foi implementado com sucesso em algumas praias do Mediterrâneo e Báltico, embora se saiba de antemão que são zonas onde as ondulações são tradicionalmente mais calmas e inferiores às que se verificam no Atlântico. 

Segundo as simulações científicas, prevê-se um acentuado recuo da linha da costa nas próximas décadas, o que não deixa de ser alarmante. 

Comentários