Fotografia: Tó Mané

O terceiro dia do Viana World Bodyboard Championships, a decorrer até domingo na Praia da Arda, Viana do Castelo, foi marcado por um carrossel de emoções para os portugueses e pelo primeiro 10 da competição, a cargo do antigo campeão mundial Uri Valadão, do Brasil.

Vamos por partes: Ricardo Rosmaninho, que, nos primeiros dois dias assinou exibições dignas de candidato ao pódio, chocou os adeptos nacionais ao perder no segundo heat da manhã, na ronda 4. O jovem bodyboarder da Póvoa de Varzim não resistiu à maior experiência do brasileiro Eder Luciano e do canário Diego Cabrera e foi arredado da prova principal, o Open masculino.

Melhor sorte teve o nazareno Dino Carmo (na foto em cima), que graças a uma grande demonstração tática superou o atleta da Ilha da Páscoa, Cristobal Fernandez, e conseguiu passar em segundo, atrás do francês Maxime Castillo. O português explicou:

“Foi, mais uma vez, muito duro. O mar estava muito complicado, com três bancadas de areia a tornarem difícil a escolha de ondas. Consegui apanhar uma boa mas só uma, o que me obrigou a estar atento ao que fazia o Cristobal. Mas se é verdade que foi muito difícil, pode ser que chegue à final e aí ganhe à vontade!”

De resto, não houve grandes surpresas, com os principais bodyboarders mundiais a passar à ronda 5, com a exceção do australiano Lewy Finnegan, infeliz no heat mais pontuado do dia, frente a Uri Valadão (17.25) e ao canário Kevin Orihuela (15.50). Para se ter uma ideia, Finnegan terminou com um total de 14.10 que lhe permitiria ganhar quase todos os outros heats do dia.

Juniores portugueses continuam na luta

Na competição Pro Junior que, recordamos, decide em Viana o campeão mundial de juniores, dois portugueses continuam na corrida: Marco Vieira, treinado pelo 10 vezes campeão nacional Manuel Centeno, e Miguel Ferreira, de Carcavelos, que passaram aos quartos de final.

Marco Vieira, de 17 anos, repete a presença no Mundial de Viana e chega com muita ambição: “O ano passado já competi aqui mas este ano estou em Viana para ganhar! Quero chegar à final, dar o máximo, arrasar, e mostrar às pessoas na praia o que é o bodyboard.”

Marco passou a sua bateria da ronda 6 em segundo lugar, mas com margem confortável.

Já a qualificação de Miguel Ferreira, também em segundo, foi tudo menos confortável: o jovem bodyboarder da Linha teve que se aplicar e só viu a passagem garantida na última onda do heat, batendo o espanhol Carlos Martin por 5 décimas (18.50 contra 18.00).

“É verdade, foi mesmo no final. Apanhei uma boa onda no início mas depois passei o heat sem apanhar ondas de jeito, com as condições a piorar…finalmente apanhei aquela esquerda e foi só quando cheguei à areia é que percebi que tinha passado.”, conta, avançando:“Agora quero continuar, tentar chegar à final e realizar o sonho de ser campeão do Mundo.”

Comentários