A saída das etapas de Pipe e do Frontón do circuito mundial em 2018, duas ondas que respiram bodyboard, foram duros e rudes golpes no seio da APB Tour e nos fãs do desporto. 

Com o desentendimento entre a organização canária e os dirigentes da APB a acentuar-se nos últimos meses parece, no entanto, que existe uma luz ao fundo do túnel uma vez que o campeonato em Pipeline pode estar de volta já em 2019. 

Recentemente ficámos a saber que existe uma licença de 1 dia para realizar uma prova em Pipe no período compreendido entre 24 de fevereiro e 8 de março de 2019. Não é definitivamente muito tempo para uma competição, mas é o regresso de um dos mais emblemáticos campeonatos da modalidade. 

Esperançosamente, ano após ano, de forma mais consistente. 

Face ao tempo disponibilizado por esta licença, apenas cerca de 8 horas (1 dia), o formato ainda não é conhecido mas está a ser equacionado. Eventualmente estaremos a falar de uma grelha de 48 atletas, segundo consta, mas resta saber se será apenas Masculino ou incluirá também Pro Junior, Feminino e Dropknee. 

Poderá também ter lugar uma competição de triagens, mas esta, a verificar-se, terá que ser realizada num dia anterior e num pico que não seja Pipe (regresso a Turtle Bay?). 

Um última questão prende-se sobre o caráter de importância da prova que, apesar de estar de volta, contará ou não pontos para o ranking da APB? Ou será apenas sancionada de evento especial?


Clica aqui para conhecer a história do Pipe Masters

Comentários