A segunda etapa do Circuito Nacional de Bodyboard Crédito Agrícola 2020 volta a estar na mesa, para 17 e 18 de outubro, depois do cancelamento extraordinário do evento na passada sexta-feira por parte da Capitania do Porto de Peniche, consequência do ciclone subtropical Alpha que se abateu sobre a região e provocou inundações, significativos estragos materiais e obrigou a medidas drásticas de prevenção por parte das autoridades.

Imediatamente após o sucedido, a organização da etapa do CNBBCA 2020, a cargo da Federação Portuguesa de Surf, BBoard TV e Peniche Surfing Clube, com o apoio da Câmara Municipal de Peniche, colocou em andamento um plano para reagendar a etapa, a segunda das quatro previstas para este ano e encontrou as condições regulamentares, financeiras e logísticas que permitiram encontrar uma data que coloca a etapa penichense após a etapa prevista para a Nazaré (3 e 4 de outubro) e antes da Póvoa de Varzim (24 e 25 de outubro).

Supertubos, Peniche. ©Bruno Norberto

João Aranha, presidente da Federação Portuguesa de Surf explica o sucedido e contextualiza o enorme esforço da organização para levantar do chão esta etapa após um cancelamento inesperado, altamente lesivo para todos os envolvidos, mas considerado, de forma unânime entre as partes organizadoras como, sublinha, o dirigente federativo, “justificado”:

“Fiz questão de me deslocar a Peniche na passada sexta-feira para acompanhar a prova, desde os preparativos à conclusão, porque a FPS está profundamente empenhada em apoiar este circuito e contribuir no que for possível para o seu êxito, tão importante para a modalidade em Portugal. Como tal, estava presente quando o ciclone atingiu Peniche. Foi um momento de grande consternação para todos nós, que vimos o impacto deste fenómeno atmosférico na praia de Supertubos e no Molhe Leste onde a prova iria decorrer. Imediatamente, a Capitania e Proteção Civil entraram em contacto connosco e avisaram que estava iminente o cancelamento da prova por questões de segurança. Face a isto, e perante o cenário que estava diante de nós, limitámo-nos a aceitar a decisão. Sabemos que no dia seguinte o estado do tempo melhorou significativamente, o que motivou alguma polémica à volta do cancelamento, mas aceitamos, respeitamos e estamos solidários com a decisão da capitania.”

Declarações do presidente da FPS cujo tom e conteúdo são subscritos por Nuno Sousa Lopes, responsável da BBoard TV, entidade privada que detém os direitos de imagem e comunicação do circuito: “O que aconteceu na passada sexta-feira em Peniche foi um evento meteorológico absolutamente excecional, inesperado, que acabou por lesar a organização do circuito de forma quase irreparável. Mas estamos solidários com a decisão da capitania pois sabemos que a segurança de todos os envolvidos foi a sua preocupação principal e, face à incerteza das condições atmosféricas, compreendemos e aceitamos a decisão.” 

O responsável do circuito, mesmo lamentando as perdas sofridas, congratula-se, todavia, com a reação de todos os protagonistas. “Felizmente, com a colaboração das outras entidades coorganizadoras, nomeadamente a Federação Portuguesa de Surf, Peniche Surfing Clube e com a ajuda preciosa da autarquia de Peniche, conseguimos reagrupar e, mesmo com considerável prejuízo financeiro, remarcar a prova. É algo que consideramos fundamental para a integridade deste Circuito, algo que devemos aos nossos patrocinadores, em especial ao Crédito Agrícola, o nosso ‘main sponsor’, e é algo que devemos aos atletas e aos adeptos desta modalidade”, resume. 

Assim, o circuito segue agora para a Nazaré, para aquela que seria a sua terceira etapa, já nos dias 3 e 4 de outubro, mas com a certeza que voltará a Peniche, 15 dias depois, para cumprir o objetivo de ter dois dias de bodyboard de excelência naquela conhecida e emblemática península do Oeste. xxx

Comentários