Inicialmente previsto para dar o pontapé de saída em março, o Nacional de Bodyboard começa, afinal, em Santa Cruz, dias 22 e 23 de agosto. Um feito da organização, patrocinadores, Federação Portuguesa de Surf e clubes envolvidos que implica um grande esforço logístico e um plano de higiene e segurança “à prova de bala”.

O Circuito Nacional de Bodyboard Crédito Agrícola está pronto para arrancar. Depois de substanciais reajustes no calendário e a elaboração de um robusto plano de higiene e segurança, necessários em consequência da crise pandémica da COVID-19, o Nacional está de pé e com quatro etapas que garantem um dos mais espetaculares circuitos de sempre.

O arranque é já em agosto, em Santa Cruz, um dos spots mais consistentes da costa portuguesa (sempre garante de boas ondulações mesmo no pico do verão), passando depois, em setembro, a Peniche, terra recheada de ondas de qualidade mundial, rumando então, em outubro, à Nazaré e terminando na Póvoa de Varzim, um dos maiores “hubs” de jovens talentos da atualidade.

Um roteiro que tira proveito de todo o potencial das ondas nacionais e que traz grande satisfação aos protagonistas da modalidade, começando pelo campeão nacional Daniel Fonseca, que salienta o feito de erguer uma prova tão ambiciosa no atual contexto nacional e internacional: “Basta olhar para o mundo da competição, desportos de ondas e outros, e ver tudo parado para perceber que organizar um Nacional de Bodyboard neste panorama é um grande feito.”

O campeão nacional acrescenta também que é com grande alegria que encontra uma razão para treinar. “Surfar faz parte da minha vida, mas treinar é outro estado de espírito e requer outra motivação que é muito difícil ter sem competições. Quanto ao objetivo para este ano, é o de sempre: ser campeão”, garante.

Também a campeã nacional Joana Schenker partilha o entusiasmo de Daniel Fonseca e revela mesmo algum alívio tendo em conta que, devido ao contexto mundial, esta pode mesmo ser o único circuito em que poderá participar. “Fico muito contente por saber que vamos competir. Nós atletas precisamos disto para sentir que estamos a voltar à normalidade”, começa por dizer.

A campeã mundial de 2017 manifesta-se, acima de tudo, orgulhosa pelo sinal importante que o bodyboard português envia para fora simplesmente pelo facto de conseguir levantar um circuito do chão nesta altura.

“É um sinal importante que conseguimos, enquanto modalidade e comunidade, ultrapassar adversidades e adaptarmo-nos a esta realidade impensável há apenas uns meses”, diz a bodyboarder de Sagres, acrescentando que “Vai tornar-se um verdadeiro acontecimento internacional e é um exemplo de otimismo para toda a gente, até extra-desportivamente.”

A demonstrar que este Circuito Nacional de Bodyboard Crédito Agrícola está a ser extremamente mobilizador, há a celebrar a participação das duas maiores referências do bodyboard nacional dos últimos 15 anos, Hugo Pinheiro e Manuel Centeno, donos, entre os dois de 14 títulos nacionais.

Hugo, que o ano passado praticamente esteve afastado da competição, apela a todos para que estejam já em Santa Cruz, uma praia de que assume gostar muito: “Fico muito feliz por ver anunciado o Nacional, ainda para mais com novos apoios e energia renovada, principalmente num ano super difícil para todos e terei todo o gosto em participar. Pode ser um ano de viragem e é fantástico conseguirmos fazer isto num ano que vai ficar marcado para sempre. Vamos estar numa praia de que gosto muito e que, sobretudo nesta altura do ano, é das melhores do país.”

Já Manuel Centeno confessa ter saudades da competição: “A minha atitude nos campeonatos mudou, já não vou ‘contra tudo e contra todos’, de forma tão agressiva e até pouco saudável, vou competir contra mim. É um momento importante e sentir integrado numa comunidade que precisa de força, expressão, que precisa de pessoas como eu, o Hugo Pinheiro ou o Daniel. E confesso que, passados uns meses em casa, estou com saudades do som da buzina. Desperta sempre qualquer coisa…”

Porém, a grande notícia deste circuito é, para já, sem nenhuma bateria ainda disputada, a parceria com o naming sponsor Crédito Agrícola. Uma colaboração que Isabel Matos, Diretora do Gabinete de Comunicação e Relações Institucionais daquela instituição bancária, considera natural: “O sponsorship do Circuito Nacional de Bodyboard é uma iniciativa que surgiu como natural para o Crédito Agrícola, pois há muitos anos que apoiamos esta modalidade que conjuga a atividade desportiva com as preocupações ambientais. A política de sustentabilidade do Grupo Crédito Agrícola que colocamos em prática nos apoios que concedemos, vai ao encontro de uma população jovem e ativa como são os praticantes de bodyboard. O Grupo CA com esta iniciativa reforça os seus valores e mostra o quanto está próximo dos jovens.”

Calendário
1ª etapa: 22 e 23 de agosto, Santa Cruz, FPS/Sealand
2ª etapa: 19 e 20 de setembro, Peniche, FPS/PPSC
3ª etapa: 3 e 4 de outubro, Nazaré, FPS/CDAN
4ª etapa: 24 e 25 de outubro, Póvoa de Varzim, FPS/CNP


Fotografia: Henrique Casinhas

 

Comentários