A 20ª edição do Sintra Portugal Pro (22 a 27 de setembro) promete ser palco de interessantes confrontos de gerações nas ondas da Praia Grande.

Na competição open, a guerra pelo título mundial está entregue aos consagrados Amaury Lavernhe (ilha Reunião), Uri Valadão (Brasil) e Jared Houston (África do Sul), mas não escapa a ninguém a presença dos havaianos Mike Stewart, de 52 anos, e o seu pupilo, Tanner McDaniel, de apenas 16.

Mike é uma lenda do desporto, quer pelos seus nove títulos mundiais, registo ímpar na história da modalidade, como pela sua longevidade ao mais alto nível. Tanner, por seu turno, é destaque pelo muito que promete. Vice- campeão mundial júnior e conhecido pelas manobras aéreas inovadoras, o corpo franzino e a cabeleira loura do grom havaiano não passam indiferentes pela Praia Grande.

E Mike não esconde que a sua grande motivação, aos 52 anos, é mesmo dar apoio aos seus jovens pupilos, Tanner e Alexandra Rinder, atleta canária que se sagrou campeã mundial feminina o ano passado, precisamente em Sintra.

“O que motiva para esta prova é acompanhar e dar força aos ‘meus miúdos’, o Tanner e a Alexandra. É claro que continuo a ser uma pessoa muito competitiva, mas aqui em Sintra nunca tive grande sucesso, pelo que venho sem expetativas concretas,” adianta.

Se falar de Mike Stewart é falar de história do bodyboard, também é histórica a sua relação agridoce com as ondas sintrenses: “Nunca me dei bem com as ondas em Sintra. São completamente diferentes de tudo o que surfo habitualmente e quebram de maneira diferente. Tenho uma teoria acerca disso, pois falei com um geólogo que estudou os fundos daqui e disse-me que a rocha-mãe é de granito e com uma concentração tão grande que tem uma gravidade ligeiramente diferente. Não sei, mas a verdade é que surfar aqui é um verdadeiro desafio para mim.”

Convém referir que depois de Sintra, Mike Stewart ruma à Nazaré para o Nazaré Pro (29 de setembro a 4 de outubro), com as previsões a apontar para ondas gigantes na Praia do Norte, local de eleição para um campeonato com os melhores do mundo.

Aí Stewart já muda de discurso: “Há cerca de 15 anos que o meu foco são as ondas grandes. Passei toda a década de 80 a surfar ondas pequenas no circuito mundial e fiquei farto. Já surfei na Praia do Norte [Nazaré Special Edition 2012] e fiquei fã. É uma onda muito boa. E se estiver grande como parece que vai estar, melhor!”

Hugo Pinheiro à procura da final
Outra cara habitual do Sintra Portugal Pro, Hugo Pinheiro, 35 anos, é um dos portugueses a ter em atenção no campeonato. O bodyboarder da Costa de Caparica já foi sexto do ranking mundial, mas em Sintra nunca foi além das meias-finais.

“As minhas melhores recordações do Sintra são também as minhas piores: fui dois anos à meia-final mas não consegui passar. Um dos anos mais ingratos, competi com Ryan Hardy mas parti o leash e tive de andar a nadar atrás da prancha em mar grande. Foi um dos piores heats de sempre…”

Para este ano, Hugo quer uma sina diferente: “É a minha primeira prova do Mundial, pois não fui ao Brasil e ao Chile, por isso não tenho expetativas em termos de circuito mundial. Vou surfar um heat de cada vez e tentar ir o mais longe possível, de preferência até onde nunca fui, à final.”

O Sintra Portugal é a quarta etapa da APB World Tour. Os campeões mundiais em título são Amaury Lavernhe (Open), Alexandra Rinder (Feminino), Dave Hubbard (Dropknee) e Tristan Roberts (Júnior).

Comentários