Drama, espetáculo e bodyboard de grande qualidade no terceiro dia de competição do 24.º Sintra Portugal Pro, em que não faltou o inesperado afastamento de dois candidatos ao título, Pierre-Louis Costes e Tristan Roberts, e uma nota 10 para um grande tubo do português Miguel Ferreira.

Houve surpresa na Praia Grande quando o francês Pierre-Louis Costes, duas vezes campeão mundial e líder do ranking da APB Tour, foi eliminado às mãos do relativamente desconhecido compatriota Milo Delage e do canário Kevin Orihuela.

Por um lado, Orihuela é um competidor temível e capaz de derrotar aquele que é considerado o melhor bodyboarder da atualidade. Já Delage apenas saiu hoje do anonimato com esta sensacional vitória, que lança o caos nas contas do título e adia a sua decisão para a derradeira etapa, nas Ilhas Canárias, em outubro.

Quem ganha com o afastamento de PLC é Sammy Morretino (na foto), havaiano da nova vaga que, aliás, celebrou efusivamente a vitória no seu heat, na mesma ronda, como se de um título se tratasse. E ainda não sabia que outro rival nas contas do título, o sul-africano Tristan Roberts haveria de cair um par de baterias depois.

“Estou bastante surpreendido por o Pierre ter perdido naquele heat, mesmo incaracterístico. Mas a verdade é que saiu muita pressão dos meus ombros, pois estava tão focado no desempenho dele neste campeonato como no meu próprio. Vou, definitivamente, dormir melhor esta noite”, confessou Morretino no final do seu heat.

Para as cores nacionais, boas notícias com o campeão nacional Daniel Fonseca a continuar a impor um surf bonito e, mais importante vencedor, que lhe garantiu a passagem à ronda 6, que é como quem diz, a três heats da final.

Fonseca foi, de resto, acompanhado pelo jovem de Carcavelos, Miguel Ferreira, um dos grandes destaques do dia com a única nota 10 do evento até ao momento – um tubo incrivelmente longo obtido pela manhã, quando o favorável vento offshore marcou presença e fez maravilhas pela qualidade do espetáculo na Praia Grande.

Menos sorte para o nazareno Dino Carmo que foi eliminado no mesmo heat em que Miguel Ferreira sacou a sua “obra de arte”. Um final, ainda assim, heroico para um atleta que surfou todo o evento condicionado por uma lesão no pé.

Na competição feminina, as favoritas seguiram em frente, com as portuguesas Joana Schenker e Teresa Almeida a garantir a passagem na ronda 5 da competição, acompanhadas pela campeã mundial em título, a japonesa Ayaka Suzuki e as compatriotas Sari Ohhara e Mayumi Tone, além das brasileiras Isabela Sousa e Neymara Carvalho ou ainda Alexandra Rinder, das Canárias.

Na estreia da competição de Dropknee, referência para as eliminações do português e local da Praia Grande, Renato Paço, e do luso-germânico Nicolas Rosner.

Amanhã a competição retoma às 8h00, previsivelmente com a competição masculina.

Comentários