De tempos a tempos, a Mãe Natureza relembra-nos que a nossa passagem é fugaz na Terra e que nunca podemos dar nada por garantido. O importante é aproveitar ao máximo cada momento. 

A erupção do vulcão Kilauea (na Big Island, Havai) iniciada a 3 de maio causou a abertura de 22 fissuras que desde então tem visto o avanço da lava até ao mar. Uma dessas fissuras tem vindo a expelir lava com mais intensidade, por vezes a 70 metros de altura, espalhando destruição e caos, dizimando mais de 700 casas pelo caminho e levando à evacuação de centenas de pessoas. 

As autoridades do Havai referem que a lava cobre agora mais de 700 acres de terreno e se estende por mais de 1 km ao longo da costa, mudando o seu recorte original em alguns casos. O avanço da lava continua e não se sabe quando poderá acabar, embora os geólogos refiram que este poderá prolongar-se por apenas mais alguns meses. 

Alguns conhecidos spots de surf da costa este da Big Island, mais especificamente na zona de Pohoiki, foram atingidos nas últimas semanas e desapareceram por completo. Ondas como Bowls, Secrets, Dead Trees e outras, que têm vindo a servir a comunidade, foram consumidas pela fúria da lava. 

O Kilauea, um dos vulcões mais ativos do mundo e que está em constante erupção há 35 anos, está a dificultar a vida dos havaianos e dos surfistas da ilha que viram assim desaparecer alguns dos seus emblemáticos spots. 

No entanto, importa relembrar que esses mesmos spots eram de origem vulcânica e, quem sabe, se outros não se revelarão no final e em seu lugar. Há uma luz ao fundo do túnel.  

Comentários