O Festival Internacional de Cinema de Surf SAL | Surf At Lisbon Film Fest (7-10 novembro) está de regresso para aquela que é já a sua oitava edição, com um cartaz recheado de excelentes produções nacionais e internacionais, reforçando, como já é habitual, a aposta num olhar mais abrangente e alternativo no universo do surf mundial.

Um dos documentários que será apresentado nesta edição chamou-nos especial atenção, pois narra a história do brasileiro Kalani Lattanzi, quem já entrevistámos há uns anos atrás; nas bombas da Nazaré em bodysurf e surf… e em condições verdadeiramente extremas. 

Ao longo de três anos o projeto reuniu algumas figuras bem conhecidas do vídeo e da fotografia, como Tim Bonython, Máquina Voadora, Pedro Miranda, Ricardo Bravo (que produziu a fantástica imagem do cartaz) e Nuno Dias que esteve responsável pela realização do Kalani – Gift from Heaven

Um detalhe importante que deve ser mencionado é que o próprio Kalani Lattanzi só irá observar o trabalho final pela primeira vez na estreia, sentado na plateia juntamente com o público, algo que será definitivamente apaixonante de acompanhar.

O filme contém imagens inéditas da Nazaré, incluíndo momentos históricos das maiores ondas alguma vez enfrentadas em Bodysurf, e conta também com a participação e testemunho de algumas das mais reconhecidas personalidades das ondas grandes a nível mundial, como Garrett McNamara, Andrew Cotton, Ross Clarke-Jones, Hugo Vau, Maya Gabeira, Carlos Burle, Nic von Rupp, Lucas Chumbo, David Langer, Tom Lowe, Dudu Pedra e João Zik. Todos eles se cruzaram no percurso de Kalani e tiveram algo a acrescentar neste projeto de registo documental.

Ficam algumas palavras de Ricardo Bravo que espelham bem o que podemos esperar: 

Nunca conheci ninguém assim. Nunca ouvi falar de ninguém assim. Kalani Lattanzi desafia o mar da Nazaré sem prancha, sem motas de água, só e apenas com um par de barbatanas e uma resposta a quem lhe perguntar (como eu perguntei) quanto tempo aguentas debaixo de água? “O que for preciso.” Kalani é um ser humano especial (um Michael Phelps do Oceano, se quiserem) e já merecia um filme, mas merece mais, muito mais, e espero que este seja só um primeiro passo para um futuro brilhante. 

Apontem a data na agenda e não falhem: 

8 de novembro às 21h30

Cinema São Jorge, Lisboa

Sala Manoel de Oliveira

Comentários