Depois de ter vencido a etapa do nacional, na passada sexta-feira, deixando Teresa Almeida, Catarina Sousa e Mariana Machado nas 2ª, 3ª e 4ª posições, a algarvia Joana Schenker voltou a dar que falar nas águas da Costa Nova, ìlhavo. 

A lusa-germânica voltou a vencer durante o fim de semana, mas desta feita a etapa do Circuito Europeu (ETB) que teve lugar ao longo de sábado e domingo, revalindo desta forma o título e sagrando-se Miss Sumol 2015. 

Tal como em 2014, a luta foi renhida com Catarina Sousa, que agora cedeu apenas por 0.75 pontos.

A final foi, por isso, muito animada, com Marta Leitão a tomar a liderança da bateria, para pouco depois Teresa Almeida, a campeã mundial ISA 2014, a retirar desse posto, enquanto Joana Schenker continuava sem apanhar ondas. 

Entretanto, Catarina Sousa faz uma onda de 7.50 pontos e assumiu a frente da bateria, mas não demoraria muito tempo para a Miss Sumol em título reclamar a sua coroa. Primeiro, com uma onda de 7.50 e, depois, com uma outra de 5.50, arrebatou o primeiro lugar para não mais o largar. 

Catarina Sousa ainda conseguiu ameaçar a posição de Schenker, mas a onda de 5.00 pontos foi insuficiente. Teresa Almeida ainda tentou responder, mas nunca foi capaz de o fazer da forma mais convincente, terminando com um total de 9.80 pontos, enquanto Marta Leitão, que na meia final se lesionou e entrou na água dorida, também nunca encontrou a onda que lhe possibilitasse almejar outro lugar da final que não o quarto, com 8.35 pontos.

Joana Schenker voltou a ser imperial na praia da Costa Nova vencendo os três heats que disputou, somando os três melhores scores da prova (13.00, 13.00 e 12.40 pontos) e ainda conseguindo as duas melhores ondas da competição (8.00 e 7.50 pontos). Durante a competição foram surfadas 140 ondas.

Com esta vitória, Joana Schenker reforçou a sua liderança no Circuito Europeu de Bodyboard, quando falta disputar apenas uma prova, na ilha da Madeira.

No final, a atleta de Sagres era uma mulher feliz e consciente do caminho percorrido: “O fim de semana não podia ter corrido melhor. Se tivesse traçado um plano para este campeonato não teria sido tão perfeito. Na final comecei nervosa e as boas ondas não eram muitas e eu precisava de uma nota alta. Esperei, consegui encontrá-la, porque com a maré a mudar as ondas boas não eram muitas. Penso que os dias anteriores foram importantes para perceber o mar. Estou mais perto do título europeu, novamente, mas é preciso manter o foco até ao fim”

Parabéns! 

Comentários