Hugo Pinheiro, aos 36 anos, é um dos melhores bodyboarders de sempre oriundo das águas da Costa de Caparica e candidato à vitória na etapa caparicana, nos dias 24 e 25 de março, durante o Caparica Primavera Surf Fest (CPSF).

Em 2018, depois de o ano passado ter estado a contas com a recuperação de uma lesão no ombro, a estrela da margem sul quer saborear o título mais uma vez:

“Quem me conhece sabe que sou um competidor por natureza e que quero sempre ganhar pelo que desta vez não poderia ser diferente, ainda por cima na minha praia, diante da minha família e dos meus ‘primos’, que são a família alargada do bodyboard da Caparica. São eles quem me apoia e empurra mais para vencer aqui.”

Porém, Hugo Pinheiro tem consciência das dificuldades, que, afirma, dizem bem do altíssimo nível da modalidade em Portugal:

“Felizmente, temos grandes bodyboarders no nosso país e nunca é fácil vencer o campeonato, antes pelo contrário. O ano passado foi o Daniel Fonseca, que está a surfar muito bem, antes dele foi o Manel [Centeno], que é um grande amigo e tem puxado por mim, como eu por ele, ao longo destes anos todos de competição… ou seja, não vai ser fácil. A única coisa que posso garantir a todos é um bom espetáculo, tanto no open como no feminino, com a nossa campeã, a Joana Schenker a ser, para mim, a principal favorita”.

Vale realçar que a 4.ª edição do CPSF, que decorre entre 22 e 31 de março, apresenta a 1.ª etapa do Circuito Nacional e do Europeu de Bodyboard. 

Desporto Escolar em altas

O Desporto Escolar e o surf escolar, em particular, têm no Caparica Primavera Surf Fest 2018 um momento histórico: a primeira etapa do primeiro circuito nacional de surf escolar. 

As modalidades de surf e bodyboard têm o maior destaque neste circuito. Em paralelo, haverá também uma demonstração de bodysurf, outra das modalidades integradas no centro de formação de surf da Caparica, coordenado pelo professor Carlos Milho, de 47 anos.

 O Centro de Formação de Surf da Caparica existe há 3 anos como resposta à procura cada vez maior por parte dos alunos do Desporto Escolar das modalidades de ondas, conforme explica Carlos Milho: “Existem 14 centros de surf exclusivamente ligados ao surf. Há 4 anos, existia apenas um”.

O coordenador do Centro do Desporto Escolar da Caparica faz um resumo da sua atividade: “Trabalhamos com quatro escolas no concelho de Almada e fazemos batismos de surf, formação nas escolas primárias com o projeto “o surf vai à escola” em que visitamos as escolas primárias com pranchas com rodas, planos instáveis, etc.,  para lhes dar uma primeira experiência antes de terem oportunidade de poderem integrar o Desporto escolar no quinto ano.”

Em suma, uma grande festa do Desporto Escolar e uma página histórica com a etapa inaugural do primeiro circuito nacional. Motivos mais que suficientes para inspirar uma visita à Caparica nos dias 22 e 23 de março, os primeiros do Caparica Primavera Surf Fest. 

Comentários