As condições traiçoeiras do mar na Praia Grande, com muito vento e mar desordenado deram azo a alguns desfechos inesperados no 22.º Sintra Portugal Pro, etapa do circuito mundial APB que teve hoje o seu terceiro dia e decorre até domingo, na Praia Grande.

As surpresas foram, sobretudo, para as cores nacionais, com Dino Carmo, 9.º do ranking mundial, e António Cardoso, 17.º mundial, a caírem na terceira ronda.

Dino Carmo cedeu perante o marroquino Anas Haddar e o conterrâneo da Nazaré André Bernardo que, graças a uma impecável seleção de ondas, conseguiu encontrar um tubo raro e vencer o heat.

“Gostava de ter passado com o Dino Carmo, mas, enfim, acho que estou, acima de tudo, grato e surpreendido. O mar está muito difícil e tanto o Dino como o Anas Haddar têm muitos mais campeonatos do que eu aqui em Sintra. A escolha de ondas foi fundamental, esperei pela certa e foi fundamental”, confessou André Bernardo, que assume que, a partir deste round, vai “continuar a tentar divertir-me, escolher as melhores ondas e ver o que vem daí”.

Por seu turno, António Cardoso foi superado pelo experiente bodyboarder das Canárias, Kevin Orihuela, e por outro português muito perigoso nestas condições: Ricardo Rosmaninho, da Póvoa de Varzim.

Quem também se viu arredado da competição foi Manuel Centeno. Um dos melhores bodyboarders nacionais de sempre, 10 vezes campeão nacional, campeão europeu e mundial, não resistiu às exibições do brasileiro Roberto Bruno (na foto) e do canário Diego Cabrera. Bruno, um atleta habituado a fazer bons resultados na Praia Grande, e Cabrera, que ocupa o sexto lugar do ranking.

De entre os portugueses, também passaram Miguel Adão e Miguel Coelho, dois jovens com potencial para ainda ir longe nesta prova.

De resto, num dia em que também se completou a segunda ronda da competição de Dropknee, outro português esteve em destaque, o campeão nacional Luís “Porkito” Pereira, que disse:

“Cumpri o meu principal objetivo, que era chegar ao main event e estou contente por fazer parte deste evento. Este é, desde que me lembro, o ano com mais qualidade na competição de dropknee deste campeonato e só tenho pena de termos tão poucos portugueses nesta categoria. Só entrei eu e o Renato Paço e sinto que existem mais portugueses com qualidade para estar aqui”.

Finalmente, na competição pro júnior (sub-21), também bons desempenhos de Joel Rodrigues e Tomás Rosado, que já garantiram um lugar nas meias-finais.

Como nota de rodapé, referência ao francês Maxime Castillo, que assinou uma exibição impressionante, somando o maior score total do dia – 17,10 pontos.

Comentários