Em julho, a Canon lançou a sua mais recente câmara profissional de alto desempenho, a EOS R5. Para Ricardo Bravo, 45 anos, conceituado fotógrafo de surf e bodyboard, com créditos firmados internacionalmente, mais do que uma câmara, a R5 tornou-se uma oportunidade de envolver o amigo Nuno Cardoso, fundador da Wave Solutions Water housings, micro empresa sediada na Ericeira e especializada no fabrico customizado de caixas estanques para fotografia, numa aventura que mistura alta tecnologia com fabrico artesanal, empreendedorismo e até arte: construir a primeira caixa estanque de surf do Mundo para a R5. E em Portugal.

Ricardo relata o que motivou esta aventura: “A Canon lançou a câmara que, há uns anos, disse-me um professor de fotografia digital, ‘não existe nem vai existir’. O senhor, felizmente, estava errado. São 20 frames por segundo, 45 milhões de pixels, um autofoco de sonho e tudo isto numa estrutura compacta e leve. Esta maravilha tecnológica chama-se Canon EOS R5 e a primeira vez que ouvi falar dela, percebi que o assunto era sério e merecia um mergulho (literal e figurado) no tema. Entre estruturar o projeto, emails e telefonemas, ter o ‘ok’ da Canon Portugal e da Wave Solutions Water Housings para trabalharmos em direção à primeira caixa estanque a nível mundial para a R5 e conseguirmos as primeiras imagens, foi um passo com milhares de passos pelo meio.”

Nuno Cardoso e Ricardo Bravo são amigos há 20 anos, mas colaboram profissionalmente há 15 anos. Nuno, um engenheiro de materiais que se define como “um idiota cheio de ideias” recorda o primeiro trabalho com Bravo: 

“Conheço o Ricardo há uns 20 anos e colaboramos há cerca de 15. Lembro-me que no nosso primeiro projeto conjunto, ele contactou-me frustrado porque tinha uma caixa estanque que pesava quase 3 quilos e consegui fazer-lhe uma nova que pesava 1 quilo. Em termos de facilidade de utilização na água, é outro mundo.”

Assim, quando Ricardo contactou Nuno para mais este projeto, que tinha como desafio extra a possibilidade de ser a primeira caixa estanque para a R5, este não hesitou e recorda: “O Ricardo tem normalmente acesso a material excelente e é muito exigente, o que passa para o meu trabalho. A seguir à apresentação da máquina a alguns fotógrafos profissionais como o Ricardo, conseguimos arranjar uma demo da máquina e em menos de 24 horas fizemos um ‘scan’ 3D na Fab Lab Lisboa e começámos a trabalhar. Recebi a máquina às 19h de um dia, fizemos a impressão 3D, e à hora de almoço do dia seguinte, devolvemos a demo.”

O passo seguinte foi o de construir o protótipo, o que colocou alguns problemas de engenharia novos: “Estamos agora a trabalhar no modelo comercializável em alumínio, material que apresenta características ideais em termos de dispersão de calor. A R5 tem processadores muito potentes, que produzem altas temperaturas, o que me fez optar pelo alumínio para esta caixa.”

Quanto a ser o primeiro a produzir uma caixa estanque para esta máquina, ultrapassando as grandes marcas da especialidade, Nuno Cardoso não esconde a satisfação: 

“Fico contente por saber que é a primeira no Mundo face a concorrência multinacional. É um projeto que me dá mais algum crédito internacional. Se não fosse esse reconhecimento, nem teria acesso a esta máquina.”

Comentários