A DIREÇÃO GERAL DE SAÚDE, ATRAVÉS DA DELEGAÇÃO DE SAÚDE DE LISBOA E VALE DO TEJO, EMITIU NO FINAL DA TARDE DE TERÇA-FEIRA UM COMUNICADO À CAPITANIA DO PORTO DA NAZARÉ ONDE PROIBIA QUALQUER ATIVIDADE DE SURF NA PRAIA DO NORTE.

O comunicado é uma consequência dos ajuntamentos observados no passado dia 29 de outubro, onde milhares de pessoas se reuniram nas arribas junto à praia para ver o fenómeno das ondas gigantes.

No despacho oficial emitido na manhã desta quarta-feira pela Capitania do Porto da Nazaré pode ler-se que a Praia do Norte “está interdita para as atividades de free surf e tow-in surfing (…) devido à promoção da aglomeração de público, que constitui um risco acrescido para a Saúde Pública.”

O presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Walter Chicharro afirmou à agência Lusa que a autarquia “está a ultimar um Plano de Contingência para os dias de free surf (eventos não organizados), muito alargado em termos de meios, para controlar o número de espetadores”.

No Plano de Contingência está prevista a limitação de 2500 pessoas “espalhadas por uma área gigantesca entre a zona do farol e o areal da Praia do Norte”, adianta o autarca, acrescentando ainda que o acesso será feito “por três entradas controladas pelas autoridades com contagem efetiva do público”.

A autarquia pretende ainda que seja feita uma emissão em live stream para que as pessoas possam ver as atividades de surf de ondas grandes sem terem que se deslocar ao local.

A situação será reavaliada em 15 dias, mas as restrições põem em causa tanto surfistas profissionais, que dependem das ondas e destas sessões de ondas XXL para se promoverem, como quem já investiu nesta temporada de surf na Nazaré. xxx

Foto: Hélio António

Comentários