Nota: Imagens podem ferir a suscetibilidade.

O arquipélago de Fernando de Noronha, considerado o Havai Brasileiro,  recebe por estes dias um importante campeonato de surf válido para o circuito mundial de qualificação da WSL – o Hang Loose Pro QS6,000. 

Por estes dias, as suas águas estão naturalmente preenchidas de ávidos surfistas que procuram treinar e participar na competição ou simplesmente observar o desenrolar da mesma. 

A prova começa amanhã, mas foi na semana passada que um incidente entre um bodyboarder e um tubarão-limão veio levantar muitas questões e dúvidas quanto à segurança dos atletas. 

Vinícius Cavalcanti, de 31 anos, vendedor ambulante de açaí, foi mordido por um tubarão na praia de Cacimba do Padre ao final da tarde, ficando com ferimentos bem visíveis no rosto, pescoço e orelha. 

Segundo a imprensa, numa das suas ondas Vinicius caiu em cima do tubarão e este, ao sentir o contacto, reagiu com uma mordidela. Entretanto, o bodyboarder já escreveu nas redes sociais que o animal está totalmente isento de culpa: 

“Eu não fui atacado por um tubarão. Eu caí em cima dele, que, fez o que qualquer ser faria, apenas se defendeu! Eu é que fui imprudente! Estava surfando no final de tarde, junto a um cardume de sardinhas, e, mesmo após ver que tinha tubarão na água, continuei ali. E, sabe de uma coisa? Mal posso esperar para estar dentro daquele lugar maravilhoso, pegando essas ondas lindas! Sendo feliz, me conectando ao oceano. O que aconteceu foi um incidente, apenas isso! Aprendi bem a lição, não surfo mais final de tarde, com os bichos ali, se alimentando. Mas, enquanto tiver saúde vou pegar onda, eu preciso do mar!”

Apesar das mazelas, Vinicius já recebeu alta do hospital e encontra-se em casa, a recuperar deste pequeno revés. Esta é uma situação caricata, por que ninguém deseja passar, mas com um desfecho inesperado. 

Comentários