Com uma série de resultados surpreendentes esta temporada (2.º em Pipe, 3.º no Brasil, 4.º em Arica e 2.º em Antofagasta), o sul-africano Iain Campbell encontra-se agora em primeiro lugar do ranking mundial. Campbell deixa o seu conterrâneo e amigo Jared Houston, em segundo lugar, a uma distância de 110 pontos.

O basco Alex Uranga é agora terceiro no ranking, enquanto o havaiano Dave Hubbard e o brasileiro Roberto Bruno, que fez um 3.º em Antofagasta, preenchem o top 5 mundial. 

Nas presenças lusas, Dino Carmo (na foto) é o atleta melhor posicionado, em 9.º lugar, com 6850 pontos, isto depois de ter ficado em 9.º lugar na última etapa em Antofagasta, Chile. Tó Cardoso, por sua vez, encontra-se em 17.º lugar do ranking, com 5690 pontos, depois de ter ficado em 13.º lugar no ABF 2017. 

Quanto ao feminino, é triste de se dizer, mas não se sabe bem como está a situação uma vez que a APB – Association of Professional Bodyboarders, que tutela o ciruito mundial, ainda não se dignou a revelar os rankings. 

Sabemos que a japonesa Ayaka Suzuki venceu a prova inaugural em Itacoatiara, de apenas uma estrela, e que a brasileira Neymara Carvalho regressou às vitórias em Antofagasta, evento de duas estrelas de categoria. Muito possivelmente, será mesmo a pentacampeã mundial quem estará a liderar a tabela mundial. 

Noticia_Tour2

Até ao momento, no masculino, foram realizadas cinco etapas (Pipe, Teahupoo, Itacoatiara, Arica e Antofagasta) e ainda temos seis pela frente até ao final da temporada, incluindo a série de três eventos que compõe a perna portuguesa (Sintra, Nazaré e Viana do Castelo). 

O Sintra Portugal Pro, etapa de 4000 pontos (4 estrelas), tem lugar entre 12 e 17 de setembro. Depois segue-se o Viana Pro, também com 4000 pontos (4 estrelas), e o Nazaré Pro que põe em jogo 5000 pontos (Bronze Grandslam) e que, para nossa surpresa, ainda se encontra por confirmar na recente atualização de calendário feita pela APB (em cima). 

SISTEMA DE PONTUAÇÃO PARA O RANKING FINAL

Um dado importante que convém ter em conta, relativamente às contas finais do ranking, é que serão contabilizados os melhores três (3) resultados em eventos de categoria Bronze Grandslam e os dois (2) melhores resultados das restantes provas que apresentem categoria entre 1 e 4 estrelas. No total, para o ranking final de cada atleta, contam os cinco melhores resultados tendo, obviamente, estes requisitos em conta. 

No calendário, este ano, são quatro as provas Bronze Grandslam (Itacoatiara, Arica, Nazaré e Frontón), enquanto as restantes são sete, embora se saiba, de antemão, que as provas que apresentam 4 estrelas (Teahupoo, Antofagasta, Sintra e Viana do Castelo) têm preferencialmente mais popularidade e são mais concorridas. 


Mais sobre a 22.ª edição do Sintra Portugal Pro aqui

Comentários