“Este é um dos melhores centros de Surf no Mundo”, foi assim que Terry McKenna da Association of Professional Bodyboarders introduziu o espaço gerido pelo Surf Clube de Viana, em que a 1.ª Bodyboard Performance Clinic teve ontem lugar.

Dedicada ao alto rendimento desportivo, esta conferência deu voz aos melhores bodyboarders do mundo, que partilharam com o público um conjunto de temas, desde “Global view of bodyboarding”, “The road to becoming world champ”, e “From school to world tour”.

Com organização do Surf Clube de Viana, em parceria com a Association of Professional Bodyboarders [APB] e a Câmara Municipal de Viana do Castelo, a conferência contou com o contributo de atletas como Mike Stewart, um dos principais impulsionadores da modalidade e 9x campeão mundial, Pierre-Louis Costes, campeão mundial em título, Iain Campbell, atual número 1 do ranking APB, e Sócrates Santana, Campeão em título da Pro Junior Division.

Esta conferência marcou o arranque da etapa do Mundial de Bodyboard em Viana do Castelo. Considerada pela APB no ano passado, como a melhor etapa do Tour, a etapa promete “uma semana de sol e de boas ondas”, decisiva por sinal, já que “o campeão mundial de Bodyboard pode ser decidido aqui”, afirmou João Zamith, presidente do SCV.

“Viana tem uma longa história no Bodyboard” afirmou Terry McKenna, “com muito potencial para as pessoas se envolverem com o oceano”, completou Mike Stewart.

“Com tantas transições a acontecer no mundo, estamos a perder a aquilo que realmente é a alegria de estar dentro de água, daí a importância deste centro [Car Surf], (…) o bodyboard é o veículo certo para introduzir às pessoas a experiência de estar no mar, (…) são tantas as mudanças disruptivas, que é a nossa responsabilidade passá-lo [este gosto] à próxima geração, explicou Stewart.

“O bodyboard ensina-te a estruturar a tua vida” acrescentou Iain Campbell, cuja intervenção se seguiu. Em pleno contexto do tema “From school to world tour” que apresentou, o bodyboarder disse “eu licenciei-me, ao mesmo tempo trabalhei num bar, num restaurante, e conciliava o bodyboard. (…) Se nós queremos mesmo alguma coisa, arranjamos forma de a fazer funcionar”, assegurou.

Neste sentido Pierre-Louis Costes não hesitou em afirmar que “O caminho é cheio de momentos bons e de momentos difíceis. Um atleta vai ter mais derrotas do que vitórias, mas as vitórias valem pelas derrotas”. (…) “O mestre falhou mais vezes do que o amador tentou”, concluiu o bodyboarder francês, acrescentado que considera “Portugal um dos melhores sítios da Europa para surfar”.

No seguimento desta conversa, melhor testemunho que Sócrates Santana não seria possível. O “campeão da favela” é a prova viva de que, como o próprio diz, “um menino saído da comunidade, sem recursos nenhuns”, pode dar cartas no panorama internacional do Bodyboard. “Somos as pessoas que queremos ser. (…) Hoje eu tento ajudar a escola de que eu saí, o meu principal objetivo é tentar ajudá-los”.

Comentários