O nome de Rita Pires não é desconhecido uma vez que se trata de uma atleta profissional que tem dedicado uma boa parte da sua carreira a promover os desportos de ondas. A sua paixão pelo oceano começou desde miúda e, por esse motivo, ninguém estranhou quando aos 10 anos se iniciou na prática do bodyboard. Nessa mesma modalidade veio a conquistar treze títulos nacionais e seis europeus, tornando-se na mais medalhada atleta europeia. Depois decidiu abraçar outros desportos e projetos. No início de 2014 mudou-se para Bali a tempo inteiro onde pôs de pé um fantástico projeto de SUP & Yoga. Num destes dias fomos falar com esta multi-medalhada atleta lusa… 

Depois de tantos títulos conquistados com a prancha de bodyboard, como surgiu o interesse de abraçar outros desportos como o surf e o stand up paddle?
O facto de ter optado por suspender por tempo indeterminado o meu envolvimento nas competições de bodyboard tem-me permitido ter mais tempo livre para desfrutar do oceano de outra forma. Agora quando entro para dentro de água não tenho o objetivo específico de treinar, mas antes de divertir-me e aproveitar ao máximo. Se as condições estão muito boas opto sempre por fazer bodyboard, mas quando não está assim tão bom não deixo de entrar na água. É nessas alturas que opto pela prancha de surf ou SUP, porque acabo por divertir-me muito mais ao estar a aprender algo novo. Faz-me recordar os tempos em que era miúda e dava os primeiro passo no bodyboard. Nessa altura entrava para dentro de água só para me divertir com os amigos e desfrutar o momento! Com o surf e o SUP voltei a reviver essas sensações incríveis.

Ainda acompanhas o bodyboard?
Tenho acompanhado o que se passa, mas de um modo muito superficial. Acho que o bodyboard já atravessou melhores tempo e agora que estou um pouco mais afastada, vejo como o desporto está mal divulgado e promovido a nível internacional. É difícil encontrar notícias atualizadas sobre competições, calendários, atletas e resultados! Falta uma estrutura sólida e uma organização que a nível internacional consolide o desporto e o volte a colocar num patamar mais alto.

E como explicas a mudança para Bali?
A mudança para Bali a tempo inteiro ocorreu porque esta ilha reúne tudo aquilo que eu sempre sonhei em termos de sítio para viver. Tem um ótimo clima, boas ondas e água quente. A acrescentar a estes fatores é um sítio simplesmente incrível pela mística da cultura e simpatia do povo local. O facto de poder partilhar experiências com pessoas provenientes de todo o mundo e de ter encontrado aqui uma comunidade estrangeira fortemente enraizada e empenhada em ajudar, faz como que neste preciso momento não tenha vontade de estar em qualquer outro sítio.
vertrp0
O projeto Standup Training, que nos parece simplesmente fantástico, foi algo que puseste de pé em Bali. Em que consiste?
O Standup Training reúne tudo aquilo que eu tenho aprendido e experienciado ao longo da minha carreira desportiva e que agora transmito aos meus clientes. O SUP & Yoga é aquilo que mais gosto de praticar e ensinar. É absolutamente fantástico, porque combina o equilíbrio, a força e a flexibilidade numa vertente do Yoga praticada dentro de água. Além disto, também tenho uma classe de treino debaixo de água com pesos e uma outra de treino funcional direcionado para surfistas. Estas três vertentes são fundamentais para desenvolver aptidões dentro de água quando se procura evoluir em desportos como o surf, bodyboard ou stand up paddle.

O SUP Bali Tour também faz parte do projeto…
Sim, trata-se de uma vertente um pouco mais descontraída e que tem uma abordagem bem diferente dos restantes treinos. O SUP Bali Tour tem por objetivo dar a conhecer locais em Bali que ainda estão pouco explorados e fogem das convencionais rotas turísticas que a maior parte dos turistas procura. Num SUP Bali Tour eu costumo levar as pessoas para as montanhas onde existem vários lagos e onde é possível praticar SUP e desfrutar simplesmente da beleza natural da ilha no seu estado mais selvagem.

Que outros projetos tens na manga?
Bem, outro projecto que quero fazer passa por construir o meu próprio surf resort em Sumatra, numa região que apresenta um enorme potencial para a prática de desportos de ondas. Gostava de criar por lá um campo de treino para a prática de vários desportos. Uma espécie de centro desportivo de alto rendimento para surfistas.

Consideras um dia voltar a competir ao mais alto nível em bodyboard?
Não excluo essa possibilidade…

E regressar a Portugal?
Para já não está nos meus planos, mas também nunca planeei viver em Bali. E agora aqui estou!

Que mensagem gostarias de deixar a todos os teus fãs?
Não fiquem sentados à espera que as coisas aconteçam. Façam acontecer! 


Fotografia: Romeu Ribeiro/Standup Training

Comentários