Ontem, nas águas geladas de Santa Cruz, Califórnia, milhares de pessoas reuniram-se para prestar tributo a um dos seus mais icónicos cidadãos, Jack O’Neill, que faleceu no passado dia 2 de junho de 2017 com 92 anos.

O encontro teve lugar em Pleasure Point e juntou cerca de três mil surfistas na água, que formaram um enorme círculo no oceano, juntamente com mais de 80 barcos e seis mil pessoas em terra. 

O amor de Jack O’Neill pelo oceano e em especial pelo bodysurf, cedo o levaram a focar-se numa alternativa que ajudasse a prolongar as suas sessões no mar. Antes do primeiro fato ser produzido, tudo valia para ele, desde roupa interior a sweats revestidas com vedante de óleo. O objetivo era permanecer na água o máximo tempo possível. 

Foi em 1952, através da sua “Surf Shop” em São Francisco, a poucos metros do spot que adorava surfar, que criou e começou a vender os primeiros wetsuits, integralmente desenhados e fabricados por ele. Mais tarde, em 1959, após o sucesso inicial, mudou-se para Santa Cruz e abriu a sua segunda loja. Por volta de 1970 era, muito provavelmente, o maior fabricante de fatos de surf a nível mundial. 

Eu próprio recordo com saudade o primeiro fato de surf que comprei, nos idos de 80. Era um shorty O’Neill, tricolor (azul, verde e laranja) e foi adquirido na Miramar Surf Shop (a original), na Costa de Caparica, na altura operada por António Bessone e Luís Semedo. 

Obrigado pela invenção, Jack. Sem dúvida que mudaste o paradigma do surf na altura e o elevaste a outro patamar. Sem dúvida que melhoraste em muito a vida de todos os “wave riders”. Pelo que viu este fim de semana, penso que é seguro afirmar que o seu legado continua. 

Que a sua alma descanse em paz. 

Comentários