Com as férias escolares e do trabalho a darem sinal chega também aquela altura do ano em que viajar se transforma quase um ato religioso. Fugir à azáfama do verão e às ondas pequenas que este normalmente proporciona é o principal objetivo, todos os anos, para muitos bodyboarders.

Ora, do outro lado do globo, as condições alinham-se e a temporada das ondas marca presença. Maldivas, Indonésia, Mentawai e a Polinésia Francesa são o destino escolhido por muitos bodyboarders. O motivo é simples: a água é quente e as ondas são perfeitas. 

No entanto, o preço a pagar pode ser elevado. É que, quase todas as ondas que quebram nestes locais, fazem-no sobre um reef ou bancada de corais bem afiada. A determinado momento da viagem, uma queda menos controlada pode dar azo a um ou vários cortes na pele. O que fazer nessa altura?

O Dr. David Szpilman, que é Diretor Médico da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático e também surfista, explica no vídeo (em cima) sobre como agir nessa situação. 

Basicamente há que saber o seguinte: 

– Os corais possuem bactérias que em caso de corte podem causar infeções difíceis de tratar; 

– O uso de limão é um mito, pois causa dor/ardor e não limpa a ferida de forma correta;

– Aplicar água e sabão na ferida é o ideal e o mais indicado;

– O tratamento deve ser mecânico: esfregar, esfregar, esfregar, de forma a retirar as bactérias retidas na pele. 

Vê tudo no vídeo em anexo, mas é sempre bom ter noção que, por vezes, o paraíso também tem o “lado b”.

Comentários