Os treinos coletivos com a presença dos pais nas atividades desportivas e físicas são muito importantes para que os filhos se sintam seguros e amparados. É importante ter alguém para acompanhar, dar ânimo, contribuir, porque, às vezes, é preciso ter muita perseverança. A principal satisfação é ver que a atividade pode auxiliar na educação, disciplina, compromisso e pontualidade. O desporto proporciona isso. 

Por Robson Costa*

Os pais que possuem o hábito de se exercitarem já influenciam seus filhos. As crianças são motivadas por ações e atitudes.

“Não tem preço, não tem sensação melhor que poder passar as técnicas e experiências vividas e experimentadas no desporto, poder passar para os nossos filhos é um orgulho imensurável, uma grande alegria e uma experiência única. Os benefícios de qualquer prática desportiva é notório e, quando se está em família, une-se aos benefícios da prática desportiva o amor, a felicidade e o carinho. É um alto complemento”, afirma Guilherme Müller.

Se, antes, os adultos apenas estimulavam a iniciação desportiva dos filhos, hoje é comum que se envolvam na mesma prática constante. Essa relação tende a ser positiva, em especial para as crianças, que têm nos pais as pessoas mais importantes e de maior influência nas suas escolhas.

Objetivando o desenvolvimento desportivo e pessoal saudáveis, é importante os pais adequarem a prática às possibilidades dos filhos. Tanto fisicamente quanto mentalmente, a atividade deve ser pensada de acordo com as capacidades de cada idade:

– Fundamentos, princípios, regras e táticas do desporto devem ser, aos poucos, apresentados de maneira simples e a um nível de exigência apropriado. É essencial, que os filhos gostem das atividades, pois só assim terão vontade de continuar. O desporto deve educar e, sobretudo, ser prazeroso, já que é a satisfação que manterá a criança no ambiente desportivo.

“Difícil descrever a sensação, melhor dizendo, a emoção de estar na água com os meus filhos. O João Marcelo, de 10 anos, já fica sozinho, mas o mais novo, Pedro Henrique, de 7 anos, entra para surfar comigo e vibra muito. Ele quer falar com toda gente e pede para descer as maiores ondas. Isso não tem preço! Aos poucos, vou mostrando os caminhos do Bodyboard e deixo nele a vontade para decidir se vai dar continuidade ou não, mas sempre que vamos juntos à praia, ele pede para surfar, e eu adoro muito. Sempre vinculei o desporto à saúde, pois ele faz-me manter o corpo e a mente saudáveis. Pensando nisso, desde cedo, eu falo com meus filhos que a atividade física desportiva, seja qual for, é uma ótima opção para ter uma vida com boa qualidade. O Bodyboard, além de me ter feito muito bem, proporcionou-me também muitas alegrias e inúmeras vitórias. E qual o pai que não quer ver o sucesso do filho naquilo que mais ama fazer? É a pensar dessa forma que eu acho que eles terão uma ótima qualidade de vida agregando o desporto às suas vidas. É um prazer enorme poder dividir e viver essa emoção ao lado deles, pois faz com que o elo entre pai e filho fique mais forte, e o sucesso mais que garantido”, relata Abel Torres, campeão niteroiense 2018 na categoria Grand Master.

Todos os desportos permitem uma parceria entre pais e filhos, desde que seja saudável e os pais não obriguem os filhos a fazerem atividades apenas porque eles (os pais) gostam. Com acompanhamento adequado, atividades e modalidades que não envolvam competição podem ser realizados a partir de qualquer idade.

Além dos benefícios para a saúde e para a integração da família, a atividade contribui para criar uma visão do mundo distinta nas crianças. Um dos benefícios importantes das atividades físicas e desportivas em família é a possibilidade de as crianças aprenderem com o exemplo dos pais e mais tarde também elas partilharem o modo de viver mais saudável que receberam.

Com o crescente estímulo a um estilo de vida saudável e ativo por toda a vida, espera-se que os jovens mantenham a prática do exercício físico também quando forem pais e mães. 

“O desporto praticado em família traz benefícios intangíveis! Os que posso citar são a aproximação, respeito mútuo, muita endorfina em família”, termina por dizer o pioneiro brasileiro Marcello Pedro.


Legendas das fotos:

No topo, Guilherme Müller e o seu filho Antônio. Foto: Lyse Kitzinger

No centro, o atleta Abel Torres a partilhar a magia. Foto André Tavares

* Robson Costa é Diretor de eventos da UBBN (União dos Bodyboarders de Niterói) e organizador do Circuito Niteroiense de Bodyboarding em Itacoatiara. 

Comentários